A ideia de converter antigos castelos e palácios em hotéis está longe de ser uma novidade na Europa. Ainda assim, o Le Grand Contrôle era uma das inaugurações hoteleiras mais esperadas dos últimos anos por sua localização ainda mais exclusiva, o Palácio de Versalhes. Depois de ter a sua abertura adiada por causa da pandemia do novo coronavírus, a hospedagem administrada pela rede de luxo Arielles abriu as portas no dia 1º de junho.

Os seus 14 quartos, decorados com antiguidades do século 18 e papéis de parede maximalistas, ficam em um edifício construído em 1681 que serviu como casa de hóspedes e abrigou o Ministério das Finanças durante o reinado de Luís XV e Luís XVI. Uma das acomodações, que possui 120 metros quadrados e paredes de quatro metros de altura, era justamento o apartamento do ministro das Finanças Jacques Necker, uma importante figura da Revolução Francesa.

O chef Alain Ducasse, detentor do maior número de estrelas Michelin do mundo, supervisiona o restaurante do hotel, que coloca uma equipe vestida em trajes de época para servir o jantar teatral de cinco etapas inspirado nos banquetes do Rei Sol. Já o spa da marca suíça Valmont oferece tratamentos baseados nos rituais de beleza da rainha Maria Antonieta e conta com uma piscina coberta e aquecida de 15 metros de comprimento.

Porém, o maior mimo oferecido aos hóspedes do Le Grand Contrôle são os passeios exclusivos pelo Palácio de Versalhes. Os tours guiados pelos jardins e pelas principais áreas internas do complexo, como a Galeria dos Espelhos, acontecem antes ou após o horário de abertura para visitantes “comuns”. Além disso, os hóspedes podem assistir a um concerto privado na Royal Opera, jantar no antigo apartamento das filhas do Rei Luís XV e até fazer uma sessão de fotos vestindo os figurinos utilizados na série de televisão Versailles (disponível na Netflix). Outra experiência de dia inteiro refaz os passos de Maria Antonieta: começa com um passeio pelo seus domínios no Petit Trianon, continua com tratamentos de beleza e degustação de macarons e termina com um jantar no Pavilhão Francês, que supostamente era um dos espaços favoritos da rainha.

O Le Grand Contrôle fica dentro do edifício que abrigada o Ministério das Finanças dos reis Luís XV e Luís XVI(AirellesDivulgação)
Apesar de terem sido reformados, os quartos mantém inspiração na decoração da época do Rei Sol(AirellesDivulgação)
O restaurante do hotel é comandado pelo chef estrelado Alain Ducasse(AirellesDivulgação)
Cada um dos 14 quartos recebe o nome de algum personagem importante da época(AirellesDivulgação)
No spa Valmont, os tratamentos são inspirados nos rituais de beleza da rainha Maria Antonieta(AirellesDivulgação)
As diárias custam a partir de € 1.700 e incluem o serviço de um mordomo particular(AirellesDivulgação)
Um dos passeios exclusivos para hóspedes percorre os famosos jardins planejados de Versalhes(AirellesDivulgação)
Os quartos são decorados com objetos originais do século 18(AirellesDivulgação)
Os hóspedes podem conhecer a famosa Galeria dos Espelhos fora do horário normal de visitação(AirellesDivulgação)
As vistas para os jardins do Palácio de Versalhes são um dos atributos dos quartos(AirellesDivulgação)
No jantar, o restaurante do hotel simula os banquetes promovidos pela realeza francesa no século 18(AirellesDivulgação)

Vivências como essa não estão incluídas nas diárias, que custam a partir de € 1.700 (aproximadamente R$ 10 mil) para dois adultos, mas cobrem o serviço de um mordomo e um carrinho elétrico à disposição em cada quarto. Aqueles cujos orçamentos não podem ir tão longe ainda podem conhecer o Palácio de Versalhes da maneira tradicional: o ingresso mais completo custa € 20 e deve ser adquirido com antecedência no site. O complexo reabriu ao público em maio após meses fechados por causa da Covid-19.

Leia tudo sobre Paris

Busque sua hospedagem em Paris