O órgão de turismo da Suíça anunciou que a entrada de brasileiros será liberada a partir deste sábado, 26. Poderão ingressar no país, sem realizar testes ou quarentena, todos os passageiros que se recuperaram da Covid-19 ou já receberam as duas doses das vacinas da Pfizer-BioNTech, AstraZeneca-Universidade de Oxford, Johnson & Johnson, Moderna, Sinopharm ou SinoVac. Para comprovar que já teve a doença, será necessário apresentar um diagnóstico positivo que date entre 6 meses e 11 dias antes da viagem, sendo que testes de IGM e IGC não serão aceitos.

Já a imunização, que deve ter sido concluída pelo menos 11 dias antes da viagem, será verificada através do próprio cartão do SUS com o nome completo do passageiro. Porém, ainda não está claro se os brasileiros que receberam a CoronaVac terão o acesso liberado, já que no documento consta que a produtora do imunizante é o Butantan, e não a SinoVac. O mesmo vale para quem tiver recebido uma dose da AstraZeneca fabricada na Fiocruz. O escritório de turismo da Suíça afirmou que está trabalhando para esclarecer essa questão.

Brasileiros que nunca tiveram Covid-19 ou ainda não foram vacinados contra a doença também estão autorizados a entrar na Suíça, mas deverão apresentar resultado negativo para um teste rápido de antígeno ou exame RT-PCR realizado até 72 horas antes do embarque, além de cumprir uma quarentena de dez dias no quarto de um hotel a escolha do viajante. As crianças de 16 anos, por sua vez, estão isentas de comprovar vacinação ou apresentar resultado negativo e poderão viajar com os pais que estiverem vacinados.

Vale destacar ainda que, para viajar para outros países europeus a partir da Suíça, é preciso passar pelo menos dez dias no país – período equivalente a uma quarentena – antes de seguir para outra nação do Espaço Schengen. Atualmente, a Swiss Airlines opera seis voos semanais de São Paulo a Zurique, sendo que em agosto a frequência passará a ser diária.

 

Leia tudo sobre a Suíça

Busque sua hospedagem na Suíça