Fernando Siqueira Carvalho
Fernando Siqueira Carvalho

O Chevrolet Chevette foi lançado no Brasil no ano de 1973 e, desde então, traçou um enorme sucesso entre as ruas das cidades, afirma o empresário Fernando Siqueira Carvalho, que é apaixonado pelo modelo e por carros antigos. O empreendedor possui uma vasta gama de antigos veículos colecionáveis, a quem dedica este gosto e apreço ao seu pai e seu avô, pois foram ambos que impulsionaram essa paixão desde sua infância. Dessa forma, imbuído de amor e conhecimento acerca dos modelos, fala à nossa redação sobre um automóvel que marcou história: o Chevette.

Inicialmente, foi fabricado com duas portas, contudo, rapidamente sua produção passou a ser de um sedan com 4 portas. Com mais de 1,6 milhões de exemplares vendidos, até hoje o veículo faz sucesso, sendo um exemplo claro da fama e legado que o carro deixou nos corações dos amantes de quatro rodas.

Uma das curiosidades é que o Chevette faz parte da geração do Kadett: “isso porque ele compõe a terceira geração do carro, o Opel Kadett”, afirma Fernando Siqueira Carvalho. Opel Kadett era como foi lançado na Europa, dessa maneira, outro fato interessante é que o carro firmou uma fama ao redor do mundo, sendo muito cotado e cobiçado por todos, uma vez que era moderno e elegante, além de possuir um ótimo custo-benefício.

Além disso, do Chevette surgiram diversos modelos, dos mais diferenciados e variados existentes. Como uma versão hatchback, perua e até com um design esportivo. O fato é que o automóvel caiu no gosto popular e todos reconheciam e admiravam um Chevette, assim como é hoje. Além disso, há 4 edições especiais do veículo: País Tropical (1976), Jeans (1979), Chatteau (1979) e Ouro Preto (1982), sendo todas sucessos nacionais.

“Em se tratando do Chevette Jeans, algo muito interessante é que os bancos deste modelo eram revestidos com jeans”, fala Fernando Siqueira Carvalho. Ademais, as edições especiais marcaram história no país, sendo referência até hoje para os colecionadores de carros antigos.

O Chevette, além de sua beleza e irreverência, possuía um ótimo sistema de direção, seu eixo e sua tração faziam do carro um ótimo veículo, dessa maneira, era potente e útil tanto para o dia a dia quanto para pegar uma estrada, sendo esse mais um motivo para se encantar pelo modelo.

“Outro fenômeno que ficou conhecido a partir do Chevette, foi o Chepala”, fala Fernando Siqueira Carvalho. A junção dos dois carros se transformou em uma verdadeira obra de arte, foi implementado no Chevette o motor do Opala, ficando conhecido com a nomenclatura acima. Essa substituição de motores foi um exemplo da dinâmica e multiplicidade dos veículos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui